5 de out de 2011

Academia só de diversão. Pode?


Acaba de inaugurar em São Paulo um espaço onde treinar é como brincar, só que mais difícil


Estou achando que as paredes têm ouvidos. Ou melhor, que a internet tem espiões. Ou será que os pensamentos que a gente pensa vão se espalhando pelo ar até que várias pessoas captem? Seja como for, via inconsciente/ consciente coletivo ou não, algumas das minhas preces andam sendo atendidas. O fato é que está aumentando a oferta de opções de atividades físicas divertidas e desafiadoras para gente que, como eu, se entedia fácil com a rotina e com a falta de aprendizado.



Esta semana inauguraram em São Paulo uma academia com o propósito principal de oferecer atividades divertidas para adultos e adolescentes. A ideia foi de François Bonaventure, dono da Vibe Sport, uma academia comum com unidades na Vila Leopoldina e na Pompeia, em São Paulo. Diz ele que havia alunos dessas academias que reclamavam da chatice das atividades de sempre. Juntando as queixas com as novidades que andavam surgindo, como a primeira academia só de Parkour no Brasil, inaugurada este ano pelo jovem Jean Wainer (e que eu divulguei em primeira mão na revista Época), François achou que estava na hora de abrir um negócio inovador, que deixasse a tal chatice de lado e entregasse o que as pessoas estão procurando. Clap clap clap.

Na nova unidade, a maior área coberta da academia é um galpão com grama sintética colorida no chão, parede de escalada e um monte de coisas penduradas no teto, como tecido, lira, cordas, tiras com alças. Há também equipamentos no chão: kettlebells, tábuas de madeira, plinto. Ué, e as máquinas? Esteiras, bikes e remos ficam “escondidos” num mezanino, de onde se pode observar, talvez com tristeza e inveja, as pessoas se divertindo lá embaixo. Equipamentos de musculação não há. 

Por dentro, o espaço lembra mais um picadeiro que uma academia de ginástica convencional, e é tudo de propósito. Na área externa, há uma árvore enfeitando o ambiente rodeada por grama sintética verde, um terraço com cama elástica e uma sala com videogame para jogos tipo Wii. Sim, porque nem só de exercício físico vive a diversão dos adolescentes. 


Fotos: Luis Simione/ Divulgação
Entre as atividades que mexem o corpo na VibeFun estão aulas de circo, Le Parkour, treinamento militar, kettlebell e escalada esportiva indoor. François diz que até pneu de trator vai ter pra moçada martelar. E não é brincadeira, não. É treino pra valer, coisa de macho. Só que também é divertido. Vi isso meses atrás no site do treinador que trabalhou o corpão do ator do filme Thor e desde então estou ansiosa pra martelar pneu! Imagina a quantidade de músculos recrutados para fazer isso! Delícia.

Como fui à inauguração de vestido, não deu para experimentar muita coisa. Só brinquei rapidamente no “trepa-trepa” do corredor lateral, pra sentir como ele “pega” a musculatura das costas. Lembra como era o brinquedo dos parquinhos de areia na sua infância? Pois é, marmanjo. Quando a gente é adulto pouco ativo, aquilo vira treino puxado.

Será ótimo se os professores da Vibe conseguirem usar esses “brinquedos” de um jeito suficiente para garantir bons resultados para o melhoramento físico dos alunos. Afinal, treinar de verdade não é só diversão. Melhorar a saúde tem de estar em primeiro lugar. Então atenção às novidades. Toda estratégia pode ser espetacular ou péssima, dependendo da forma como é aplicada, e para quem, e em que momento. Espero que eles acertem a mão e conquistem muitos alunos (inclusive idosos, por que não?). Sejam bem-vindos.

Nenhum comentário: