26 de fev de 2009

Acabou o leitinho da criança

Então era verdade. Passados alguns meses de suspeita e observação, confirmei. Sou intolerante à lactose, o açúcar presente no leite e nos queijos. Isso explica por que meu intestino andava tão zoado. Sem ser digerida, a lactose serve de comida fácil e abundante para as bactérias do meu intestino, que na hora de se alimentar fermentam esse açúcar e liberam... you know... gases! Dentro de mim. Agora chega, né? Vou cuidar melhor do meu panduzinho.

Agora tenho duas alternativas: dar adeus ao meu leitinho querido com cereal, ao creme de ricota no pão de manhã e às pizzas com mussarela ou continuar saboreando essas tradicionais delícias e passar a digeri-las com a ajuda de cápsulas de lactase, a enzima que eu não tenho (ou tenho insuficientemente) e que consegue quebrar a lactose para mandar glicose pro meu sangue.

Meu nutrólogo sugeriu algumas substituições. Uma das mais saborosas eu já venho testando há alguns meses. É uma pasta de tahine com melado. Misturam-se os dois na mesma proporção numa vasilha de vidro que pode ser armazenada fora da geladeira e pronto: tem-se um substituto para os laticícios de passar no pão. E é muito gostosa. A outra sugestão para o pão são pastas temperadas de tofu, batidas no liquidificador com alguma coisa que dê sabor. Eu testei uma vez só com espinafre e alho e descobri que exagerei no alho.

No carnaval, conheci uma mulher que também evita os laticínios e toma todas as tardes uma vitamina de leite de soja com frutas. Ela mistura tantas frutas diferentes (claro, em pequenas porções) que o gosto da soja quase some. Quase. Seria uma alternativa para o leite matinal. Se bem que, segundo o nutrólogo, o iogurte não vai me fazer mal.

Mas ainda fico pensando no que será das minhas sextas-feira sem pizza e das minhas tardes de domingo sem farinha láctea com leite. O médico me indicou uma pizzaria vegana que ele garante que é boa (Lar Vegan, em Sampa) e me passou umas receitas para me suprir melhor de outros nutrientes que estão faltando, como ômega 3, ferro e vitamina B12. Terei de tomar uma suplementação por três meses e depois repetir parte dos exames para ver se essas falhas nutricionais foram corrigidas.

E ainda me perguntaram: nutrólogo, você? Mas você come tão direitinho! Sim, é verdade que eu procuro me alimentar direito e que a maior parte dos exames veio com ótimos resultados. Colesterol, triglicérides, insulina, vitamina D e outras coisas importantes estão em perfeito equilíbrio. Mas o leite talvez esteja atrapalhando a absorção do ferro. Até a absorção do cálcio o leite dificulta, no meu caso. Mas meu nível de cálcio está bom porque retiro de vegetais. Veremos depois da suplementação e da suspensão dos laticínios como é que fica. E sem chorar sobre o leite derramado de propósito no ralo da pia, na despedida.

Um comentário:

Lu Fuoco disse...

Oi Fran, tudo bem?
Você poderia me passar o contato do seu nutrólogo, por favor? Estava mesmo em busca de um bem indicado.

Obrigadão, Lu Fuoco